Superação e descobertas

Os benefícios da equoterapia

  • Jornalismo ABCCMM
  • 08/08/2017
  • 16h30

Janeiro de 2014 mudou a vida de Robson Martins Liboreiro. Vítima de um assalto, ele foi atingido por um tiro. A bala se alojou na medula espinhal e fez com que ele ficasse tetraplégico, aos 29 anos de idade. Essa história tinha tudo para ser um lamento, mas trata de descobertas, superação, parceria, respeito e amor ao próximo.

Médico veterinário, Robson sempre esteve envolvido com o Mangalarga Marchador, mas foi depois de se tornar cadeirante que ele descobriu a equoterapia. Passou a frequentar o Centro de Equitação e Equoterapia Gileade (CEEG), em Sete Lagoas, Minas Gerais. No local, cerca de 15 exemplares do Mangalarga Marchador são usados no atendimento semanal de aproximadamente 80 pessoas, entre crianças e adultos, com limitações físicas e intelectuais. Gente que descobriu a própria evolução no cavalo, graças à força de vontade e à parceria de um animal de temperamento de sela equilibrado, doce, de porte ideal e andamento cômodo.

Na terapia, Robson desafiou e contrariou as perspectivas médicas que apostavam em um quadro de debilidade motora integral. Em aproximadamente dois anos, os gestos acima do peito foram resgatados. No CEEG, ele descobriu ainda ideologias de vida semelhantes às dele e teve de volta a possibilidade de conviver com cavalos.

 “Impossível negar as limitações de se estar em uma cadeira de rodas. Mas elas desaparecem quando o cavalo entra em cena. Montado, as dificuldades se tornam pequenas. Plenamente, eu tenho de volta minha autonomia, liberdade e emoção de estar fazendo uma das coisas que mais gosto. Cavalgar e estar perto dos animais é a minha vida.”

Atualmente, o Centro de Equoterapia é mais do que reabilitação física para Robson. Ele cuida de toda a parte veterinária, como controle sanitário e nutrição dos animais. Integra ainda a equipe de Paraenduro do grupo, tendo conquistado no final de julho, o primeiro lugar na categoria 5 KM, na disputa promovida pela Chevaux Esportes Equestres. No mesmo evento, outros dois integrantes do CEEG levaram para casa os títulos de campeões na categoria 10 KM e 20 KM.

A turma já se prepara para a próxima competição, ansiosa pelo Conjunto Festival Hípico, que será realizado em Brasília, de 20 a 22 de outubro, em Brasília.