Dúvida do internauta sobre silagem de milho

Confira a resposta da médica veterinária

  • ALINE PERUCCI
  • 06/10/2017
  • 14h24

Antenado nas dicas do nosso portal sobre Nutrição para equinos, o João Otávio do Haras Canoeiros nos enviou uma pergunta sobre as vantagens e as desvantagens da utilização da silagem de milho na alimentação desses animais.

Segundo a médica veterinária, Mayara Gonçalves, essa é uma dúvida muito frequente entre os criadores, por isso, segue a dica da especialista:

A silagem de milho pode ser uma alternativa de volumoso para os equinos no período da seca, em que temos escassez de disponibilidade de capim de qualidade. A maioria dos cavalos aceitam e consomem bem a silagem, mas cuidados importantíssimos devem ser tomados:

 

1-        Durante o processo de ensilagem, a forragem é preservada pela fermentação anaeróbia (ausência de oxigênio) dos carboidratos não estruturais a ácidos orgânicos, reduzindo o pH. A acidose impede a proliferação de microrganismos que deterioram o alimento. Sendo assim, o cuidado com o processo de ensilagem e vedação completa do material sem a presença de oxigênio é essencial para uma silagem de milho de qualidade.

 

2-        Todo cuidado deve ser tomado para que NÃO ocorra contaminação da silagem com carcaças de animais, ou que o solo NÃO seja incorporado ao material, pois podem levar à proliferação de bactérias causadoras de doenças, principalmente o botulismo, que pode ser fatal aos equinos.

 

3-        Os produtos ensilados que tiveram contato com o ar (sujeitos à deterioração aeróbia), não devem ser fornecidos para os cavalos. Fungos podem contaminar esse alimento e os cavalos não possuem a mesma habilidade que os bovinos e outros ruminantes de metabolizar certas toxinas.

 

4-        O fornecimento da silagem deve ser fracionado de 3 a 4 vezes ao dia, para que a silagem não permaneça muito tempo exposta ao ar no cocho e ocorra proliferação de microrganismos indesejáveis e causadores de doenças.

 

5-        É comum que a fezes dos cavalos fiquem um pouco mais úmidas e as síbalas menores. Porém, fezes muito pastosas e líquidas podem indicar problemas.

 

6-        Procure sempre um médico veterinário ou zootecnista que trabalhe com nutrição de equinos para solicitar a avaliação laboratorial dos nutrientes da silagem fornecida e elaborar o balanceamento da dieta. A idade de corte da planta de milho vai influenciar a qualidade nutricional da silagem. Por isso, após a análise, o nutricionista poderá escolher o sal mineral, a ração concentrada e os suplementos que serão essenciais para fornecer todos os nutrientes necessários para suprir as exigências de cada cavalo de forma balanceada.

 

7-        Apesar de ser considerada uma fonte de volumoso, a silagem de milho possui mais energia digestível que os capins. Por isso, deve ser fornecida para os cavalos das categorias que têm maior demanda por energia e que estejam soltos. A silagem de milho para animais confinados que se exercitam pouco pode resultar em ganho de peso excessivo e risco de cólicas por compactação, pois, dependendo da idade de corte da plante de milho para a ensilagem, pode conter grande quantidade de fibras mais difíceis de serem degradadas.

 

8-        Qualquer alteração da dieta deve ter adaptação. Sendo assim, a inclusão da silagem deve ser feita de forma gradual, respeitando a adaptação individual do cavalo, conforme a orientação do nutricionista de equinos.

 

Gostou?! Continue acompanhando nosso portal. Envie sua dúvida para aline.perucci@abccmm.org.br