Potros recém-nascidos

Dicas de cuidados

  • Flávia Zago
  • 22/01/2018
  • 11h10

O nascimento dos potros ocorre principalmente durante a primavera, estendendo-se também ao período do verão. Alguns cuidados com os com os recém-nascidos são cruciais para que atinjam de forma saudável a vida adulta. 

1- O cordão umbilical, que geralmente é rompido de forma natural, necessita de uma desinfecção, uma vez que pode tornar-se uma porta de entrada para algumas enfermidades. Esta desinfecção pode ser realizada através da introdução do umbigo do potro em um recipiente contendo uma solução de iodo a 10%. O ideal é que este procedimento seja realizado com o potro em pé, evitando assim que a solução derrame por outras partes do potro sensíveis ao iodo.

 

2- Observar se o potro mamou o colostro. O colostro é um leite rico em anticorpos e fundamental para a imunização do animal. Os potro nascem com baixa imunidade e necessitam do colostro para sobreviver às condições adversas do novo ambiente. 

3 - A ingestão do colostro pelo potro deve ser até no máximo 6 horas após o nascimento. Caso o recém-nascido não consiga acessar as tetas da mãe de forma natural, dever ser auxiliado pelo tratador. Existem situações em que a mãe não foi capaz de produzir o colostro, nestes casos o potro deverá ser alimentado de forma artificial, de preferência com o colostro coletado de outra égua parida no mesmo dia, ou proveniente de um banco de colostro, que pode ser criado no próprio haras.

 

4- Observar se o potro defecou duas a três horas após o nascimento para eliminação do mecônio. Mecônio são as “fezes” produzidas e acumuladas no intestino durante a vida intrauterina e são identificadas pela coloração marrom ou amarelada. Caso não ocorra de forma natural, o animal poderá apresentar inquietação, redução da amamentação e cólicas e deverá ser auxiliado por um profissional capacitado.

 

5- Os recém-nascidos devem estar sempre sob observação, qualquer mudança de comportamento pode significar algum problema, como diarreias e cólicas, que quanto mais cedo o diagnóstico, maiores as chances de cura.

 

6- Ficar atendo também quanto a presença de carrapatos.

 

7-A vermifugação pode ser iniciada aos 30 dias e repetida a cada 60 dias.

 

8- Uma vez que o período de nascimento dos potros coincide com a época das chuvas, as matrizes paridas devem ser colocadas em pastos ou piquetes limpos e bem drenados, com cochos cobertos e árvores que produzam sombra. Nunca alojar os potros recém-nascidos em currais ou piquetes de pequenas dimensões, o que aumenta em muito o risco de contaminações e enfermidades como diarreias e poliartrites.

 

9- Nos pastos ou piquetes onde estão os potros com suas mães, poderá ser construído um creep-feeding, que é uma instalação com um cocho no centro, cercado a uma altura que permite a passagem apenas dos filhotes, onde é fornecido uma ração adequada visando complementar a dieta do potro lactente.

 

10- É bom lembrar, que 7 dias após o parto, a égua apresentará um cio, conhecido como cio do potro. Durante o período deste cio, o potro poderá apresentar um quadro de diarreia que geralmente não necessita de maiores cuidados.